Menu


Roubo de celulares cresce na capital. Veja como se proteger

30 AGO 2017
30 de Agosto de 2017

Um dos objetos mais comuns da lista de furtos e roubos é sem dúvidas o telefone celular. Inclusive, em nossa região, temos recebido toda semana diversos relatos sobre abordagens de criminosos que levam os aparelhos celulares das vítimas.

 

Os números deste tipo de crime são alarmantes. Só no primeiro semestre de 2017, ocorreram 69.326 furtos de celulares na capital e 48.064 roubos.

Além do roubo para uso próprio, os criminosos vendem os aparelhos roubados nas chamadas “Feiras do Rolo”. O telejornal SPTV1 apresentou nessa quarta-feira (30), matéria sobre as feiras realizadas no centro de São Paulo, em que celulares de procedência duvidosa e sem nota fiscal são vendidos a preços muito inferiores ao mercado. Na reportagem, um homem tentava vender um aparelho que no mercado custa R$1.800 por menos de R$400.

 

No último CONSEG – Conselho Regional de Segurança, realizado no dia 28 de agosto, a Guarda Civil Metropolitana e a Polícia Militar alertaram sobre o crescimento deste tipo de roubo devido a facilidade, visto que a abordagem ocorre, na maioria das vezes, quando as vítimas estão distraídas com seus celulares andando pelas ruas ou nos pontos de ônibus.

 

Infelizmente estamos distante do mundo ideal onde as pessoas possam ter a liberdade de usar seus telefones celulares em qualquer lugar sem a preocupação de correr o risco de perdê-los. Por isso, é importante ter cuidado e evitar expor objetos de valor enquanto estiver na rua ou até mesmo dentro do transporte público.

 

A IMPORTÂNCIA DO IMEI

No caso da perda ou roubo do aparelho é importante ter em mãos o número do IMEI. Ele é um código exclusivo de cada aparelho que permite bloqueá-lo em caso de perda ou roubo.

 

Na ocorrência de perda ou roubo, o dono do aparelho deve informar o IMEI para a operadora de telefonia para realizar o bloqueio. Também é importante informar o IMEI à polícia quando realizar o Boletim de Ocorrência para que, caso o aparelho seja localizado, possa ser devolvido ao dono. Em alguns casos, com o número IMEI ou mesmo com a conta do Google a qual o aparelho foi registrado, é possível identificar o local onde o celular está.

 

O bloqueio inutiliza o aparelho. Mesmo que seja colocado um novo cartão SIM no aparelho, ele não poderá ser utilizado. Infelizmente a “esperteza” dos criminosos têm aumentado e eles estão conseguindo reativar os aparelhos mesmo após o bloqueio. De qualquer forma, bloquear o aparelho utilizando o código IMEI é essencial para evitar que os criminosos tenham acesso aos dados pessoais do usuário.

 

Se todos tivessem o hábito de registrar o número IMEI e, em caso de roubo, realizar o Boletim de Ocorrência e solicitar o bloqueio do aparelho, o número de roubos de celulares cairia exponencialmente, pois os aparelhos perderiam valor para o crime.

 

COMO IDENTIFICAR O IMEI DO SEU CELULAR?

Se você ainda não guardou o número do IMEI do seu celular, faça isso agora mesmo.

 

Veja a seguir algumas formas para identificar o número IMEI do seu celular:

 

1. Código Universal

 

Como fosse fazer uma ligação telefônica, digite  * # 0 6 #

Imediatamente o código IMEI surgirá na tela do seu dispositivo.

 

2. Para usuários do sistema Android

 

Outra forma de obter o número IMEI para quem tem sistema Android é seguinte os passos:

Acesse Configurações > Sobre o telefone > Status > o número aparecerá numa lista. Não é possível copiá-lo direto da tela do celular. Anote o número em um papel ou numa conta de e-mail que você consiga acessar fora do celular.

 

Em alguns casos, também é possível encontrar o número IMEI impresso na bateria do celular. Para acessar a bateria, desligue antes o celular.

 

O site wikiHow preparou mais dicas para encontrar o número IMEI, inclusive para celulares com sistema IOS. Veja aqui.


Receba as novidades do Guia Imirim no seu WhatsApp.
Clique aqui e informe o seu número.

Leia também:

Voltar