Menu


Abraço fraterno chama atenção das autoridades públicas para descaso com o Hospital Mandaqui

27 JUN 2018
27 de Junho de 2018

Na manhã desta quarta-feira (27), profissionais da saúde, membros do Conselho Gestor do Conjunto Hospitalar do Mandaqui (CGCHM) e população realizaram um abraço simbólico em frente ao Conjunto Hospitalar do Mandaqui (CHM) para chamar a atenção das autoridades públicas para o descaso que vem ocorrendo com este equipamento público de saúde.

 

De acordo com o CGCHM, desde 2011 o Governo do Estado, a Secretaria da Saúde e sua Coordenação, vem promovendo um desmonte que tem gerado caos no Conjunto Hospitalar do Mandaqui.

Marco A. N. Cabral (Presidente da Comissão Executiva), Dr. Elder Gati (Presidente do Sindicato dos Médicos), Dr. Sisenando (Cirurgião Bariátrico do Hospital Mandaqui)
Entre os problemas apontados pelo conselho gestor, estão a falta de médicos nas especialidades clínico geral e pediatria, falta de enfermeiros,  problemas na estrutura do prédio, falta de medicamentos na farmácia aberta ao público e equipamentos inutilizados por falta de peças ou de mão de obra qualificada para sua operacionalização.

INVESTIMENTO
De acordo com o portal Diário da Zona Norte, na última quinta-feira (28) a senadora Marta Suplicy anunciou investimento de R$7,8 milhões ainda esse ano para aquisição de equipamentos e reformas no Conjunto Hospitalar do Mandaqui.

Em nota, a senadora manifestou o seguinte: “Estive no Hospital do Mandaqui e constatei o lamentável estado em que se encontra. Também, tenho acompanhado o desespero da população. Assim, o quanto antes falei ao presidente Michel Temer sobre o que presenciei, e ele, prontamente, atendeu ao meu pedido de emenda ao Orçamento da União. Em audiência com o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, ele assegurou que incluirá essa previsão orçamentária, autorizada pelo presidente, no sistema do Ministério da Saúde tão logo receba o plano de trabalho da Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo. Meu assessor parlamentar está acompanhando, diariamente, essa questão. Para nós, prioridade.”


Veja a seguir, a moção de repúdio publicada pelo Conselho Gestor do Conjunto Hospitalar do Mandaqui.

 

MOÇÃO DE REPÚDIO

 

O Conselho Gestor Segmento Usuários do C. H. Mandaqui, no exercício das suas atribuições, de acordo com Artigo 198 da CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL, 1988 CAPITULO II SEÇÃO I, amparados pela CONSTITUIÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO, CAPITULO II SEÇÃO II ARTIGO 221, LEI ORGÂNICA DO MUNICIPIO DE SÃO PAULO CAPITULO II ARTIGO 213 e nas LEIS 8.080 e 8.142, 

 

Repudia o DESCASO COM A SAÚDE PÚBLICA E O CAOS estabelecido no C. H. MANDAQUI pelo Governo de Estado, Secretaria da Saúde e sua Coordenação que desde 2011 vem promovendo um desmonte, apesar dos vários ofícios e atas produzidos que se tornam recorrentes.

 

1.  Laudo do AVCB

A parte do processo que compete ao CHM para treinamento de brigadistas, sinalização de rotas de fuga, instalação de placas e luzes ¨está em andamento¨. Quanto à colocação de Hidrantes na área externa aos Edifícios de responsabilidade da Secretaria de Saúde será encaminhado o projeto de instalação com plantas já elaboradas, objetivando a concessão do AVCB. O Conselho Gestor revê esse assunto por não haver registro.

 

2. Estacionamento em estado precário sem condições de utilização

Desde 09/04/2015 foi dada entrada no processo licitatório de terceirização, pela última consulta realizada em 18/01/2018 se encontra na Secretaria de Saúde área de Consultoria Jurídica. Até o momento nada.


3. Falta de Médicos na especialidade Clínico Geral e Pediatria


I -  Falta de Enfermeiros, Técnicos de Enfermagem e Auxiliares

Foi confeccionado uma Documentação e encaminhada à Secretaria da Saúde citando os problemas da falta de médicos como por ex. faltam 53 clínicos no PSA, funcionários em desvio de função, funcionários doentes, acumulo de função, diminuição de quadro e falta de reposição.  


Números das necessidades e déficit do Pronto Socorro, atualizado no mês de junho\18

Na especialidade Clínica médica 14 profissionais com carga horária de 24horas.

Na especialidade Neurocirurgia 10 profissionais com carga horária de 24horas.

Na especialidade Cirurgia Geral 04 profissionais com carga horária de 24horas.

Na especialidade Pediatria 04 profissionais com carga horária de 24horas.

Na Enfermagem Auxiliar\Técnico = 369 profissionais \ Enfermeiro = 156 profissionais


Média de Atendimentos de Urgência e Emergência de Janeiro a maio \ 18

Adulto = 5927

Obstétrico = 2115

Pediátrico = 4380

Total = 12.422

Média de Internações de urgência e Emergência de Janeiro a maio \ 18

Adulto = 785

Obstétrico = 284

Pediátrico = 250

Total = 1.319


Sala do arquivo de prontuários sem manutenção e com risco de incêndio.

definição conforme descrito em ata. Nada realizado

Tendo em vista a TERCEIRIZAÇÃO da lavandeira a partir de 15 de março, este espaço será utilizado e adequado para arquivos.

Hoje existem 1056 mt lineares de arquivo ativo e 830 mt de arquivo inativo com uma projeção de 70mt lineares por ano de crescimento.

 

EQUIPAMENTOS

 

Equipamentos de última geração sem utilização por falta de peças de reposição ou profissional qualificado e sem a devida manutenção.

 

AMBULATÓRIO

 

Em péssimas condições, tendo a área de Ginecologia o seu teto caído há 02 anos e nada solucionado.

 

MURO DA RUA VOLUNTÁRIOS DA PÁTRIA

 

O Muro caiu há mais de 01 ano e 06 meses e após várias reuniões; parece estar sendo levantado?

 

REMÉDIOS

 

Falta medicamentos na farmácia aberta ao público e por algumas vezes nas dependências do PSA e enfermarias.

 

O Conselho Gestor Segmento Usuários do C. H. MANDAQUI entende necessário publicitar esses fatos visando preservar a integridade física e moral de seus Conselheiros, Diretoria Técnica, Gerências, Médicos, Enfermeiros, Auxiliares e principalmente aos seus Usuários; objetivando a solução de tudo aqui exposto para que o Conjunto Hospitalar do Mandaqui cumpra plenamente a sua função Social, contando para isto com apoio da população e ajuda das autoridades constituídas.



São Paulo, 27 de Junho de 2018

 

Assinam esta Moção de repúdio

 

Marco A N Cabral                                

Presidente da Comissão Executiva

 

Regina Celia Pedrosa Vieira

Vice-Presidente da Comissão Executiva

 

Mario S Alencar

Secretário da Comissão Executiva

 

Leia também:

Voltar